Sabe quando você está no meio de um papo importante em uma videoconferência e a tela de repente congela? Seu colega fica todo pixelado do outro lado e o áudio começa a vir cortado e com voz metálica? A performance web das transmissões é aperfeiçoada a cada dia, mas ainda é possível melhorá-la. Sem congelamentos, sem áudios cortados.

Algumas melhorias são simples e evitam o estresse na hora de transmitir na web. Seja em uma live streaming ou em videoconferências, o ideal é seguir alguns passos antes de se colocar na frente da câmera. Confira:

Primeiro passo: a conexão

Quando se trata de conexão, duas taxas indicam a qualidade: a velocidade de download e de upload. A taxa de upload define a quantidade de dados enviados e a de download, de dados recebidos. Para quem transmite, a velocidade de upload é muito importante. Para quem recebe a transmissão, a de download.

O ideal para qualquer transmissão ao vivo é uma franquia de 10 Mb ou mais. Esse tipo de conexão garante uma velocidade de upload de 3.000 kbps a 6.000 kbps, o que faz diferença, principalmente, na qualidade do vídeo. Se você não soube a velocidade de sua conexão, alguns sites gratuitos na internet fazem um teste de velocidade e podem indicar esses valores.

Mesmo com a velocidade ideal, outros fatores também são decisivos para a qualidade de sua transmissão. Um deles é a quantidade de dispositivos que estão conectados a sua rede, por exemplo. Por isso, é importante usar uma rede segura e protegida contra os ladrões de sinal.

Se você utilizará uma conexão wi-fi para a sua transmissão, o posicionamento e distância do roteador também conta para definir a quantidade de dados recebidas. Para usar uma conexão sem fio, o ideal é utilizar um repetidor de sinal mais próximo de seu dispositivo.

O melhor mesmo é utilizar o bom e velho cabo, que garante uma transferência de dados mais uniforme e constante.

A qualidade da recepção também é definida pela taxa de download de quem está do outro lado de sua transmissão, então essas dicas valem para todos que acompanharão sua videoconferência.

Segundo passo: o equipamento

Não dá pra querer uma qualidade boa na sua transmissão se o PC treme todo só de abrir o navegador. Transmissões ao vivo exigem um processamento grande de seu dispositivo e a performance web depende dele.

Além disso, a qualidade de vídeo e a de áudio de sua transmissão são definidas pelos equipamentos que se utiliza para capturá-los. Uma câmera que não tenha captação em Full HD não conseguirá captar o vídeo em Full HD. Para a qualidade ideal desses atributos é preciso estar atento à placa de áudio, placa de vídeo, câmera e microfone.

Terceiro passo: o canal da transmissão

O intermediário na transmissão é o canal pelo qual ela está sendo feita. Canais como a Singular garantem a qualidade e o melhor desempenho do seu live streaming porque contam suporte para redes móveis, como 3G ou 4G, por exemplo. Esse sistema permite a qualidade na transmissão mesmo com conexões e equipamentos com menor desempenho.

Essas dicas garantem tudo o que você precisa para o melhor desempenho nas suas transmissões, agora é só se conectar e transmitir.