O aumento exponencial no volume de dados e sistemas das empresas gerou benefícios para as operações e uma expansão nos negócios. Por outro lado, passou a representar um risco cibernético mais intenso para as empresas.

Atualmente, os dados das empresas passaram a ser como um tesouro muito precioso, pois carregam informações importantes de operações, fórmulas, dados de clientes e muitas outras que podem servir como ameaça para os negócios se forem roubadas ou extraviadas.

Por isso, manter a segurança cibernética é uma grande preocupação das empresas nos dias de hoje, independente do seu porte. Os ataques virtuais estão cada vez mais frequentes e já prejudicaram muitas empresas e até mesmo órgãos públicos que estavam com gargalos na segurança.

Um dos ataques mais famosos e mais perigosos a servidores das empresas é o DDoS (Distributed Denial of Service), também conhecido como um ataque conjunto para promover a negação de um serviço. Na prática, o ataque é composto pela reunião de diferentes máquinas para acessar um servidor-alvo ao mesmo tempo, prejudicando assim o seu funcionamento e até mesmo toda a reputação de uma empresa.

Como funcionam esses ataques?

Um criminoso que deseja prejudicar uma empresa inicia seu plano identificando uma vulnerabilidade no sistema de computadores da empresa, tornando esse sistema o mestre DDoS. Esse sistema começa a identificar outros sistemas que também estejam apresentando vulnerabilidade. Assim, o criminoso começa a ganhar o controle sobre diversos sistemas e passa a infectá-los com malwares ou ignorando os controles de autenticação.

Nos dias de hoje, esse tipo de ataque é um dos mais praticados pelos criminosos virtuais, já que o impacto causado e a complexidade para mitigação são bem mais graves que outros ataques cibernéticos. Além disso, é mais difícil rastrear sua origem, pois geralmente são utilizadas técnicas de spoofing de endereço IP.

Diferente de outros ataques em que os hackers encontram brechas para invadir computadores, roubar ou danificar arquivos, o DDoS tem como intuito deixar um ou mais servidores lentos e inacessíveis, prejudicando o negócio por um determinado período.

Os riscos do DDoS para as empresas

Por ser um ataque temporário, muitas empresas acabam achando que ele é menos grave e gera menos impactos ao negócio. Porém, justamente por ser temporário, ele ocorre em momentos cruciais para a empresa, em que os sistemas são muito usados para determinada ação principal.

Exemplo disso é uma empresa que realiza uma Black Friday e tem um ataque DDos justamente nesse dia. Já imaginou o estrago e o prejuízo causado por um servidor lento e inacessível em meio a tanta demanda?

O maior impacto é a interrupção no funcionamento das operações hospedadas no servidor, principalmente de uma empresa em que funciona maioritariamente no ambiente digital. Já se os sistemas da empresa funcionam em nuvem, o ataque pode também ser efetivo, comprometendo o fluxo de informações entre os profissionais, fornecedores e clientes.

Como evitar esse tipo de ataque?

Investir em uma infraestrutura de segurança robusta é a melhor forma de evitar ataques como esse. O ideal é contratar serviços em cloud, que contenham, de preferência, ferramentas anti-DDoS para proteger os seus datacenters.

Utilizar mais de um servidor também pode ser uma alternativa. Ao contratar mais de um servidor para armazenar os dados da empresa, espalhando esses dados, a empresa consegue limitar a ação. Assim, a companhia não fica com toda a infraestrutura afetada em uma situação de ataque.

Leia mais sobre tecnologia e segurança em nosso blog.